quinta-feira, 6 de julho de 2017

Por que o Alcorão usa o termo "nós" para Allah ?

Essa é uma construção gramatical conhecida como plural de majestade. Muitos idiomas usam essa construção como o árabe, o hebraico e o urdu. Ouvimos membros de várias famílias reais ou dignitários usando a palavra nós, como “nós decretamos” ou “nós não estamos satisfeitos”. Não indica que mais de uma pessoa está falando; mas sim, denota excelência, poder ou dignidade daquele que fala. Quando temos esse conceito em mente, fica óbvio que não há ninguém mais merecedor de usar o “nós” de majestade do que Allah - Deus.
“Um Livro que Nós te temos revelado para que retires os humanos das trevas (e os transportes) para a luz...” (Alcorão 14:1)
“Nós enobrecemos os filhos de Adão e os conduzimos pela terra e pelo mar; agraciamo-los com todo o bem, e preferimos enormemente sobre a maior parte de tudo quanto Nós criamos.” (Alcorão 17:70)
“Se quiséssemos, poderíamos anular tudo quanto Nós te temos inspirado, e não encontrarias, então, defensor algum, ante Nós.” (Alcorão 17:86)
“Ó humanos! Se estais em dúvida sobre a ressurreição, reparai em que Nós vos criamos do pó…” (Alcorão 22:5)
Estudioso islâmico respeitado do século 13, o sheikh al Islam Ibn Taymiyyah disse que: “Toda vez que Allah usa o plural para referir-Se a Si mesmo, é baseado no respeito e honra que Ele merece, no grande número dos Seus nomes e atributos e de Suas tropas e anjos.”
O uso das palavras nós, nahnu ou nós, inna, de forma alguma indicam que exista mais de um deus. Não têm nenhuma correlação com o conceito de trindade. Toda a fundação da religião islâmica se apoia na crença de que só existe um Deus e Muhammad é Seu mensageiro final.
“Vosso Deus e Um só. Não há mais divindade além d’Ele, o Clemente, o Misericordiosíssimo.” (Alcorão 2:163)

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Islamismo e Proteção do Meio Ambiente


A proteção ambiental é um aspecto importante do islamismo. Sendo administradores da Terra, é responsabilidade de todo muçulmano cuidar do meio ambiente de forma pró-ativa. Existe um propósito definido por trás da criação de diferentes espécies, sejam plantas ou animais. Os muçulmanos são encorajados a refletir sobre a relação entre organismos vivos e seu meio ambiente e a manter o equilíbrio ecológico criado por Deus. A proteção do meio ambiente é essencial para as crenças islâmicas e a humanidade tem a responsabilidade de assegurar a guarda do meio ambiente.


Proteção do meio ambiente e conservação de recursos 

A perspectiva islâmica sobre proteção ambiental reflete uma imagem positiva sobre o Islã e como ela abarca todas as questões que os humanos enfrentam na Terra. A atitude islâmica em relação à conservação do meio ambiente e dos recursos naturais não se baseia apenas na proibição da exploração excessiva, mas também no desenvolvimento sustentável. O Alcorão Sagrado diz:

"É Ele quem vos nomeou legatários na terra ... para que Ele possa tentar você no que Ele lhe deu". (Surah 6: 165)

"Ó filhos de Adão! ... Coma e beba: mas não desperdice por excesso, porque Deus não ama os desperdiçados". (Surah 7:31)

O islamismo é contra o corte ou a destruição de plantas e árvores desnecessariamente, como é evidente no seguinte Hadith: Abdullah ibn Habashi relatou que o Profeta Muhammad (SAW) disse: "Aquele que corta uma árvore [sem justificação], Allah o enviará para Fogo do inferno." (Abu Dawud). A devastação causada pelo desmatamento em muitos países causa erosão do solo e mata muitos animais importantíssimos para a biodiversidade da Terra.

A abordagem do Islã para o uso de recursos naturais foi brilhantemente apresentada pelo Quinto Califa Hazrat Ali ibn Abi-Talib (RA), que disse: "Participe dele com prazer enquanto você é o benfeitor, não um despojador; Um cultivador, não um destruidor. Todos os seres humanos, bem como animais e vida selvagem, gozam do direito de compartilhar os recursos da Terra. O abuso de qualquer recurso por parte do homem é proibido, já que o princípio jurídico diz que "O que leva ao proibido é proibido".

Quando Abu Musa (RA) foi enviado a Al-Basrah como o novo governador, ele se dirigiu às pessoas dizendo: "Eu fui enviado a você por 'Umar ibn Al-Khattab (RA) para ensinar-lhe o Livro de seu Senhor [ Ou seja, o Alcorão], a Sunnah [de seu Profeta] e para limpar suas ruas ". Abu Hurairah informou que o Mensageiro de Allah (Paz seja sobre ele) proibiu que uma pessoa se alivie em uma fonte de água ou em um caminho ou em um lugar de sombra ou na serra de uma criatura cessante. Esses valores destacam o interesse do Islã em evitar a poluição dos recursos críticos e a importância da limpeza.

Espalhar a consciência ambiental

Uma ótima idéia seria começar sua própria campanha na escola, na faculdade ou no local de trabalho para plantar árvores, cuidar de animais de rua, etc. Estudantes, professores e colegas de trabalho podem ser motivados a doar tempo e algum dinheiro para a campanha de plantio. Manter as plantas ao redor de sua casa, escola ou local de trabalho não é apenas estético e decorativo, mas também mantém você saudável e melhora a qualidade do ar interior. 

A consciência ambiental e a proteção dos recursos naturais são parte integrante das crenças islâmicas. Como vice-reis de Deus nesta terra, temos que utilizar os recursos naturais de forma sustentável para garantir que as criaturas de Deus continuem a viver da melhor forma possivel. O princípio da conservação é maravilhosamente ilustrado pela regra que diz que, ao fazer abluções (wudu), devemos ser comedidos no uso da água, mesmo que tenhamos um rio à nossa disposição. Como seres humanos, somos detentores de toda a criação, incluindo solo, ar, água, animais e árvores. Um dos principais objetivos das tradições islâmicas e do Profeta (paz ser sobre ele) é construir e manter um ambiente saudável e limpo que seja desprovido de qualquer fonte de poluição e uso indevido. 

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

SUPLEMENTAÇÃO ORGÂNICA E HALAL

O Conselho Internacional de Nutrição e Alimentos Islâmicos da América (IFANCA®) nomearam Amway como a Empresa do Ano durante a Conferência Halal Internacional de Alimentos em 2015 pela excelência na conformidade e a execução de produtos halal-certificados de Nutrilite™ nos mercados em todo o mundo.
O Halal é o padrão alimentício dos Muçulmanos, e é o significado Árabe da palavra “legal” ou “permitido.” A Certificação Halal é exigida para produzir o alimentos aceitáveis em produtos consumíveis para o público muçulmano. De acordo com IFANCA, o mercado global é crescente para os produtos halal-certificados que hoje é calculado em cerca de 1,8 bilhões de Muçulmanos no mundo.

No Brasil o Dr. Fernando Viola, um neurocientista e neurofisiologista, pesquisador de células tronco e especializado em Fisiologia da Nutrição concedeu palestra sobre o tema e destacou pontos superimportantes em relação à alimentação saudável, e nos trouxe várias informações alarmantes sobre frutas e legumes comercializados vêm perdendo nutrientes e de acordo com estudos da Ciba-Geigy (Swiss pharmaceutical company) nos últimos 20 anos com as modernas técnicas de pulverização e conservação além do fato de que as frutas e legumes às vezes passam semanas e até meses para chegar da horta até os supermercados e consequentemente a mesa do consumidor, além de outros fatores como poluição, agrotóxicos, congelamento de alguns produtos e destaca que itens como banana perderam com o decorrer da industrialização e distribuição 92% do Potássio, a batata perdeu 70% do cálcio, a cenoura perdeu 57% do magnésio, o tomate perdeu 80% da vitamina C, e que hoje consumimos praticamente "massa apenas” e mesmo que o consumidor tenha uma alimentação balanceada, não é nem de longe suficiente, sendo de extrema necessidade se fazer uso de uma complementação alimentar a base de suplementos para que a dose diária mínima de nutrientes e vitaminas sejam atendidas. Sem falar que o mau do século, o estresse rouba muitas das vitaminas que o nosso corpo precisa, existindo também, de acordo com o estudo, outros fatores como poluição, álcool e demais males dos tempos modernos.  O Doutor Viola destacou que, hoje os suplementos mais populares no mercado não atendem as necessidades dos consumidores, pois se tratam de formulações sintéticas, fabricadas em laboratório, e que o grande problema dos suplementos sintéticos a exemplo da Vitamina C consumida pela maioria da população, a efervescente, que em muitos casos é comercializado com um ou dois gramas, não será absorvida nem 35% pelo nosso organismo, pois a ligação espacial química é diferente da composição da vitamina em seu estado natural, onde são encontrados os fito nutrientes a qual o corpo absorve bem mais facilmente em cerca de 90%, diferente dos sintéticos que tem absorção infimamente inferior.  Pesquisando no mercado, para tentar solucionar problemas referentes a essa problemática, o Dr.Viola tomou conhecimento sobre uma marque a qual atualmente indica aos seus pacientes a marca Americana Nutrilite, (https://www.portalnutrilite.com.br/) líder mundial em Suplementos e que trabalha exclusivamente com matérias primas orgânicas, inclusive o conglomerado a qual a multinacional faz parte, adquiriu no

Brasil a maior fazenda de cultivo de acerola orgânica do Mundo, sendo alvo de matéria do programa Globo Rural.  A Nutrilite tem a filosofia de usar concentrados das plantas, além de outros ingredientes naturais, evitando corantes, aromatizantes, edulcorantes e conservantes artificiais. Os elementos naturais são combinados com as substâncias manufaturadas isoladas, para otimizar a potência dos resultados, o que de acordo com o Dr.Viola ser ideal para quem deseja suplementar com qualidade sua alimentação do dia a dia.  Atualmente, os consumidores adquirem os produtos da Nutrilite através de representantes cadastrados, onde pudemos localizar a loja online http://www.amway.com.br/pt/lojavirtual/Alessandra-De-01 onde na loja sitada este blogger adquiriu e passou a usar com muita satisfação os suplementos Daily ( polivitaminico), Acerola C, e o fantástico Omega 3. Nos dias atuais é de suma importância usar produtos biodinâmicos e de origem Orgânica e os suplementos Nutrilite caem como uma luva nas necessidades de suplementação adequada, de qualidade e de origem totalmente certificadas também pelos Selos Kocher (Judaico), além da certificação pela IBD de produto 100% orgânico.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

MENTIRINHAS GOSPEL, A PORTA DO INFERNO

Misteriosa cratera gigante apareceu na China há algumas semanas e deixa toda a população apavorada! Será que o chamado portal para o inferno é real?
Cratera gigantesca teria aparecido há poucas semanas na China, deixando os cientistas sem respostas! Seria esse o portal para o inferno? (foto: Reprodução/Facebook)
Foto: Reprodução/Facebook
A notícia apareceu com força em diversos sites e blogs no final de outubro de 2016 e mostra um enorme buraco que teria surgido repentinamente em uma cidade no noroeste da China.
De acordo com o texto que foi compartilhado inúmeras vezes através das redes sociais, um deslizamento de terra misterioso ocorreu em uma encosta chinesa, deixando os geólogos sem respostas. Milhares de cientistas têm ido até o local, que fica nos arredores de Urumqi, na Região Autonoma de Xinjiang (China), desde que o buraco apareceu há algumas semanas!
O que está assustando a população, segundo a reportagem, é que o interior do buraco emana um calor tão intenso e que vozes podem ser ouvidas saindo de dentro dele. A mídia já teria batizado a cratera de “Porta do Inferno”!!!
Os religiosos, ainda segundo o texto, estariam preocupados com esse fenômeno que, para eles, seria um claro aviso do fim dos tempos!
Será que essa notícia é verdadeira ou falsa?

O assunto chama muito a atenção dos leitores e, claramente, é um caça-cliques descarado. O inventor dessa bobagem misturou algumas fotos reais com um monte de desinformação para criar um alarmismo desnecessário na rede e, é claro, conseguir mais visitação para seu blog.
A primeira coisa que fizemos nesse caso foi buscar no Google Images essa foto da enorme cratera usada para ilustrar a matéria. Os primeiros resultados já nos mostram que a chamada “Porta do Inferno” existe mesmo, mas fica em Darvaz, no Turquemenistão e não tem nada de inexplicável ou de sobrenatural!
O Google sabe tudo e mais um pouco!






FONTE: E-FARSAS

domingo, 8 de maio de 2016

7 mentiras que já te contaram sobre o Islã

O islã, islão ou islamismo, é uma religião monoteísta que tem o livro Alcorão para falar o que seria certo ou errado para quem segue essa religião. Recentemente vem acontecendo diversos ataques terroristas que defendem sua religião como a única certa e que todas as outras estão erradas. Com tanta coisa negativa que vemos dos países que seguem essa religião, acabamos criando vários preconceitos que não poderiam existir. Temos a mania de generalizar algum grupo por conta de alguma coisa ruim que apenas uma pequena parte do grupo fez. A Fatos Desconhecidos separou 7 coisas que vão mostrar que a grande maioria das coisas que você aprendeu sobre o islamismo são uma verdadeira mentira: 1- “Muçulmanos, árabes e islâmicos são a mesma coisa”
Islã 1 Publicidade Acabamos vendo diversas coisas na televisão e os termos que são falados, muitas vezes, acabam se confundindo. Para começar, muçulmano é termo utilizado para pessoas que seguem o islã. Já os árabes são uma comunidade que divide a língua e a mesma cultura. Islã ou islamismo é a religião. Não confunda mais, já que apenas 15% dos muçulmanos do mundo são árabes. 

 2- “Islã oprime as mulheres” islã 2 De acordo com o Alcorão, principal livro da religião, alguns costumes como casamento forçado e abuso no casamento não são muito aceitos. A maioria desses costumes são feitos por conta da cultura, tradições de cada lugar e da forma que cada país ou povo interpreta o que está escrito no livro.

 3- “Todos são terroristas” islã 3 A grande parte dos muçulmanos não é terrorista e existem apenas alguns grupos terroristas que praticam esses atos. O Alcorão prega a paz para todos e também o respeito entre todos. Pense melhor antes de julgar muitas pessoas só por se vestirem como árabes.






 4- “No Brasil não existem Islâmicos” Islã 4 O Brasil é uma grande mistura de povos, religiões e culturas. Sendo assim, existem pessoas que seguem o islã. Não existem dados precisos sobre quantos existem no Brasil, já que pesquisar apontam 200 mil em todo o Brasil e a comunidade islâmica diz ter 1,5 milhão de islâmicos no Brasil.

 5- “Eles não podem fazer sexo durante o Ramadã” islã 5 Para quem não sabe, o Ramadã é o nono mês do ano sendo considerado um mês sagrado para eles. Durante esse mês eles realmente não podem comer, beber, fumar ou ter relações sexuais DO AMANHECER ATÉ O ANOITECER. Por isso de noite tudo é liberado.

 6- “Mulheres não são obrigadas a usar véu” islã 6 O uso do véu é um mandamento religioso. Em alguns países toda mulher, sendo muçulmana ou não, é obrigada a utilizar o véu. Na Arábia Saudita e República Islâmica do Irã são obrigatórios o uso de todo o traje e em alguns lugares só é necessário o véu para cobrir a cabeça da mulher. Vemos em séries e filmes que qualquer mulher que vá para esses países tem que utilizar esse véu. 7- “Muçulmanos não acreditam em Jesus”

 islã 7 Para os muçulmanos, Jesus existiu e está no Alcorão. Tudo está lá, desde seu nascimento milagroso e seus ensinamentos que tiveram a mão de Deus. A única diferença é que ele é considerado um profeta totalmente humano. Uma curiosidade é que Jesus se chama Isa para os muçulmanos e Maria se chamava Miriam. Bônus: O que significa “allahu akbar” islã bônus O termo é utilizado em todo começo de oração de um muçulmano. Ele significa “Deus é grande”.

Apesar de muitas pessoas ligarem os atos terroristas a essa frase, ela não tem nenhum significado e fica apenas como uma reverência para Alá, que é como eles chamam Deus. O que achou? Tirou muitas dúvidas? Você acreditava em alguma dessas mentiras? Comenta aí.

terça-feira, 17 de novembro de 2015

O Alcorão ensina a vilolência?

Pergunta: Espero que os estudiosos me tirem da confusão em que me encontro desde os acontecimentos de 11 de setembro, principalmente no que diz respeito a alguns versículos alcorânicos.
Esses versículos contradizem inteiramente o que os muçulmnaos dizem a respeito de sua religião, que é uma religião de paz que condena a violência. Embora não seja um muçulmano,  não odeio os muçulmanos. Só preciso um pouco de esclarecimento a respeito dessas questões. Como os senhores interpretariam um versículo que diz "Matai-os onde quer que os encontreis"? (al-Bacara 191) e ..."Mas, se se rebelarem, capturai-os então, matai-os, onde quer que os acheis, e não tomeis a nenhum deles por amigo ou socorredor."? (an-Nisá 89) Muito apreciaria uma resposta rápida.
Resposta
Em nome de Allah, o Clemente, o Misericordioso
Todos os louvores e agradecimentos são devidos a Allah e que a paz e a bênção estejam com seu Mensageiro.
Obrigado pela pergunta que você colocou, é muito interessante e é por isto que também tentarei fazer o melhor para fornecer-lhe a resposta adequada.
Quando nós, os muçulmanos, declaramos que o Islam é uma religião de paz, não estamos tentanto provar algo que seja absurdo ou querendo resolver um quebra-cabeça. Pelo contrário, estamos apenas afirmando um fato que se fundamenta em provas inquestionáveis e evidências muito claras. Ainda que não precisemos declarar este fato, pois o Islam é, em si, auto-explicativo, no que se refere ao seu significado, seus nobres ensinamentos e o cerne de sua mensagem transmitida pelos Profetas de Allah, enviados à humanidade.
Para esclarecer um pouco mais esta questão, aqui está a declaração feita pelo Dr. Muzammil H. Siddiqi, diretor da Sociedade Islâmica do Condado de Orange, e presidente da Sociedade da América do Norte, ao responder a questão semelhante:
"Agradeço as palavras gentis de que você não odeia os muçulmanos. O ódio não é bom para ninguém. Quero assegurar que nós muçulmanos também não odiamos os não muçulmanos, sejam cristãos, judeus, hindus, budistas ou seguidores de qualquer outra religião, ou que não tenham religião. Nossa religião não permite a morte de qualquer pessoa inocente, qualquer que seja sua religião. A vida de todos os seres humanos é santificada, de acordo com os ensinamentos do Alcorão e a orientação de nosso abençoado Profeta Mohammad, que a paz esteja com ele e com todos os profetas e mensageiros de Allah.
Sobre a proibição de matar, diz o Alcorão: "... Não tireis a vida que Allah tornou sagrada, senão sob a forma da lei e da justiça: eis o que Ele vos ordena, para que raciocineis." (al-An'am 151) e diz Allah no Alcorão: "Nem tireis a vida que Allah tornou sagrada, senão por uma justa causa. E se alguém for morto injustamente, facultamos ao seu parente a represália (exigir qisas ou perdoar): porém que não se exceda na vinganaça, porque ele está auxiliado (pela lei)". (al-Isrá 33). De acordo com Alcorão, matar uma pessoa sem  justa causa é um grande pecado, como se matasse toda a humanidade, assim como salvar a vida de uma pessoa é uma boa ação que corresponde a salvar toda a humanidade (ver al-Máida 32)

Contudo, sua pergunta é válida, então, por que o Alcorão diz "matai-os sempre que os encontrar ...", conforme mencionado nas suratas al-Bácara:191 e an-Nisá:89? A resposta é simples, você deve ler esses versículos em todo seu contexto histórico e textual. Você deve ler todo o versículo e melhor ainda é ler alguns versículos antes e outros depois. Leia todo o texto e veja o que está dito:
"Combatei, pela causa de Deus, aqueles que vos combatem; porém, não pratiqueis agressão, porque Deus não estima os agressores. Matai-os onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, matai-os. Tal será o castigo dos incrédulos. Porém, se desistirem, sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo. E combatei-os até terminar a perseguição e prevalecer a religião de Deus. Porém, se desistirem, não haverá mais hostilidades, senão contra os iníquos. Se vos atacarem um mês sagrado, combatei-os no mesmo mês, e todas as profanações serão castigadas com a pena de talião. A quem vos agredir, rechaçai-o, da mesma forma; porém, temei a Deus e sabei que Ele está com os que O temem." (al-Bácara 190-4)
Quanto à sua segunda citação, leia também o texto completo:
"Anseiam (os hipócritas) que renegueis, como renegaram eles, para que sejais todos iguais. Não tomeis a nenhum deles por confidente, até que tenham migrado pela causa de Deus. Porém, se se rebelarem, capturai-os então, matai-os, onde quer que os acheis, e não tomeis a nenhum deles por confidente nem por socorredor. Exceto àqueles que se refugiarem em um povo, entre o qual e vós exista uma aliança, ou os que, apresentando-se a vós, estejam em dúvida quanto ao combater-vos ou combater a sua própria gente. Se Deus tivesse querido, tê-los-ia feito prevalecer sobre vós e, seguramente, ter-vos-iam combatido; porém, se eles se retirarem, não vos combaterem e vos propuserem a paz, sabei que Deus não vos faculta combatê-los. Encontrareis outros que intentarão ganhar a vossa confiança, bem como a de seu povo. Toda a vez que forem chamados à intriga, nela sucumbirão. Se não ficarem neutros, em relação a vós, nem vos propuserem a paz, nem tampouco contiverem as suas mãos, capturai-os e matai-os, onde quer que os acheis, porque sobre isto vos concedemos autoridade absoluta." (an-Nisá 89-91)
Agora, diga-me honestamente, estes versículos dão permissão para se matar livremente qualquer um em qualquer lugar? Esses versículos foram revelados por Allah ao Profeta Mohammad, que a paz esteja com ele, na época em que os muçulmanos vinham sendo atacados constantemente pelos não muçulmanos de Meca. Eles estavam aterrorizando a comunidade muçulmana de Medina. Pode-se dizer, usando o jargão contemporâneo,  que havia constantes ataques terroristas a Medina e, nesta situação, os muçulmanos tinham a permissão de combater os "terroristas". Esses versículos não significam uma permissão para a prática do "terrorismo", mas são uma advertência aos "terroristas. Porém, mesmo nessas advertências,você pode perceber como a moderação e o cuidado são bastante ressaltados.
É importante que estudemos os textos religiosos dentro de seu contexto.  Quando estes textos não são lidos dentro dos contextos histórico e textual, eles são manipulados e distorcidos. É verdade que alguns muçulmanos manipulam esses versículos para alcançar objetivos particulares.  Mas isto acontece não só com os textos islâmicos, mas, também com textos de outras religiões. Posso citar dezenas de versículos da Bíblia que parecem violentos  se tomados isolados  de seu contexto histórico.  Esses textos bíblicos foram usados por muitos grupos judaicos e cristãos. Os cruzados os usaram contra muçulmanos e judeus. Os nazistas os usaram contra os judeus. Recentemente, os cristãos sérvios os usaram contra os muçulmanos bósnios. Os sionistas os estão usando regularmente contra os palestinos.
Citarei alguns versículos do Velho  e do Novo Testamentos e depois me diga o que você diria a respeito deles:
"Quando o SENHOR vosso Deus vos introduz na terra que estais prestes a possuir, e vos livra das várias nações que vos antecederam, os hititas e os girgashitas e os amoritas e os cananeus e os perizitas e os hivitas e os jebusitas, sete nações maiores e mais fortes do que vós. E quando o SENHOR vosso Deus os despacha e os derrota antes de vós, então vós os destruireis completamente. Não fareis pacto algum com eles e não tendes misericórdia deles. (Deuteronômio 7:1-2)
"Quando vos aproximardes da cidade para combatê-la, oferecei vossos termos de paz. Se eles concordarem em fazer a paz convosco e vos franquearem a cidade, então todas as pessoas que nela se encontrarem   tornar-se-ão escravos e vos servirão. No entanto, se não aceitarem a paz convosco e preferirem a guerra contra vós, então cerque-os. Quando o SENHOR vosso Deus permitir, esmague todos os homens com o fio da espada. Somente as mulheres e as crianças e os animais e tudo o que estiver na cidade, todos os seus espólios, serão tomados como despojos de guerra por vós; e vós usareis os espólios de vossos inimigos que o SENHOR vosso Deus vos agraciou ... Somente nas cidades dessas pessoas que o SENHOR vosso Deus está vos concedendo  como herança, nada que respire será deixado vivo." (Deuteronômio 20:10-17)
"Agora, portanto, matai todo macho entre os pequenos e matai toda mulher que tenha conhecido um homem intimamente. Mas todas as meninas que não conheceram um homem intimamente, poupe-as para vós." (Números 31:17-18)
Até no Novo Testamento nós lemos a seguinte afirmação atribuída a Jesus feita a seus discípulos:
"Pois eu vos digo que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado mas ao que não tiver, até o que tem lhe será tirado. E, quanto aos meus inimigos, que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui e matai-os na minha presença." (Lucas 19:26-27)
Allah, Todo Poderoso, sabe melhor.
Mufti Muzammil Siddiqi
Fonte: sbmrj.org.br